Odair agradece o apoio da torcida e disse ter sabedoria para enfrentar a adversidade do momento

138

“Quando o Beira-Rio ruge deste jeito, é bonito, o time se fortalece. Obrigado, torcedor, pelo apoio, foi lindo. Nos ajudaram muito. Os jogadores deixaram tudo no campo, tentamos nos classificar até o fim, a diferença foi o escore e vamos seguir trabalhando para as próximas competições seguir adiante.”

Foi com estas palavras que Odair iniciou sua fala, antes de responder as perguntas dos jornalistas presentes na entrevista coletiva. O Inter mostrou garra e por pouco não levou a partida aos pênaltis. Odair montou um time que conseguiu bloquear as jogadas do time adversário. Outros trechos de sua entrevista:

“Eu não gosto de perder, nem par ou ímpar, imagina GRENAL. Não gostei de nenhum dos dois. Não vou gostar nem aceitar nunca. Agora respeito as pessoas falarem, respeito quem falou (contra o time), tenho que ter convicção no meu trabalho, seguir na minha linha, não me deixar influenciar por isso. Tem que ter sabedoria, tranquilidade, seguir meu caminho, respeitando as pessoas, as críticas, faz parte da minha profissão isso. Tenho que ter este entendimento e seguir adiante. Depois da tempestade vem o tempo bom. Tenho que ter essa convicção.”

“Depois do 3 a 0 era até difícil falar em reversão. Mas com o jogo no Beira-Rio, uma daquelas bolas que criamos iguais as que o Grêmio criou, e agora fica mais fácil de falar. Porque falar de números numa derrota é difícil. Em números de chances, criamos iguais ao Grêmio. Só que entraram lá e não entraram aqui. Mas nós sabíamos que se conseguíssemos reproduzir, uma sequência maior nos 90 minutos teríamos chance maior de buscar a classificação. Não poderíamos falar nisso e vender essa ilusão ao torcedor, que o quarto sairia antes do primeiro. Tínhamos que fazer um jogo seguro, equilibrado, construir o ambiente e as coisas se encaminhariam favoráveis, como aconteceu.”