Pottker é o preferido para deixar o Inter no meio da temporada

155

Com um orçamento que requer R$ 41 milhões com venda de atletas, o Inter admite que a janela de transferências que aproxima-se pode ser a saída para equalizar as contas. E o atacante William Pottker é o predileto para render uma boa grana ao clube.

Pottker já recebeu sondagens do futebol alemão e chinês. A venda não se concretizou porque os valores apresentados não bateram os 12 milhões de euros (R$ 50 milhões) esperados pelo Inter como valor para sua liberação.

“A situação financeira não é a melhor. Desde o ano passado não tivemos nenhum aporte extra, expressivo, de receita. Mas isso não é só o Inter. Todos os clubes brasileiros passam por isso. Só que alguns optam por continuar endividando o clube ou praticando coisas que ali na frente vão onerar o clube. Estamos tomando cuidado para trabalhar com responsabilidade. Poderíamos ter cedido a pressão por trazer um grande nome, de repercussão, mas não fizemos isso. Trabalhamos com pesquisa para não errar, com pesquisa para minimizar o erro”, disse o vice de futebol Roberto Melo.

Mesmo sem ter feito contratações de grandes valores, o Inter precisa se recuperar de uma temporada na Série B, quando os valores de receitas são inferiores ao protocolo comum.

“A gente precisa, sim. Temos necessidade de vender jogador. O Inter faz isso há muito tempo, é uma receita que deu certo. O acúmulo em tal função é também por termos que prever a saída de alguém. Pode ser que não aconteça, mas pode acontecer. E buscar em agosto, até adaptar, pode nem jogar. Há necessidade, sim, de um aporte de recursos e isso vem pela venda de alguém, de algum jogador”, completou Melo.