A 2ª edição da Copa dos Refugiados foi realizada neste fim de semana em Porto Alegre. No sábado (02/06), as partidas inicias foram realizadas no estádio Passo D’Areia, enquanto que as finais ocorreram no Beira-Rio, no domingo (03/06). A finalidade principal do torneio é a integração social dos migrantes e refugiados que hoje vivem na região da Capital Gaúcha e arredores. A competição é um evento idealizado pela ONG África do Coração e realizado em conjunto com a Ponto, Agência de Inovação Social, com o apoio institucional do ACNUR, a “Agência da ONU para Refugiados”.

Dentro de campo, a seleção de Senegal foi a vencedora. A equipe africana venceu o time do Líbano na final, nas penalidades máximas, após empate por 0 a 0 no tempo regulamentar de 40 minutos, divididos em dois tempos de 20. Nas semifinais, os senegaleses superararam a Seleção de Angola, enquanto que os libaneses venceram os peruanos na penúltima partida do torneio.

O coordenador-geral da Copa dos Refugiados Brasil 2017-18 e vice-presidente da Ong África do Coração, Abdulbaset Jarour, ressalta que o torneio é uma oportunidade para que os migrantes e refugiados possam se integrar à comunidade local: “A Copa dos Refugiados não é jogo pelo jogo. Nosso objetivo é para quebrar a xenofobia, o preconceito, que aumentou muito. É para se integrar na sociedade brasileira. Precisamos um olhar especial para entender nossa causa. Fomos deslocados, obrigados a deixar nossas terras, raízes. Abandonamos nossa cultura, família, amigos. O Brasil abre portas para nós, só que não é fácil recomeçar na vida. Através desse projeto nós queremos nos integrar na sociedade brasileira, queremos trabalhar, queremos realizar nosso sonho. E o futebol é uma linguagem universal”.

FONTE E TEXTO: SITE OFICIAL DO INTER