Foto - Divulgação

O diretor de futebol do Internacional Rodrigo Caetano, concedeu entrevista para os canais ESPN e mais uma vez atualizou a situação de Martín Sarrafiore, que vem realizando trabalhos de preparação física no Inter. Outro assunto abordado por ele, foi os investimentos em contratações nesta metade da temporada, que até o momento, só conseguiu contratar Álvez.

Começo de trabalho e negociações: “Pro Internacional é uma janela que não teve muitos movimentos. Nosso maior objetivo foi preservar o elenco. Não tivemos nenhuma saída até o momento, mesmo precisando disso. A situação financeira é igual a de todos os outros clubes, infelizmente é uma necessidade quase que geral, mas o Internacional não fez e esportivamente não teve esse prejuízo. Em relação a chegadas, óbvio que nossa obrigação é estar atento, mas por conta justamente do orçamento, a ideia de que se formos buscar alguém, sejam peças bem pontuais, e realmente através de uma boa oportunidade de negócio. Capacidade de investimento nesse momento o Internacional nesse momento não tem. Tem um elenco de boa qualidade, estamos em 4° no Brasileiro”.

“Nós na verdade realizamos uma venda e um empréstimos (Valdívia e Anselmo). Isso sem dúvida ajudou muito os cofres do Inter nessa parada, mas a ideia nossa é justamente como filosofia é resgatar essa questão de o Inter ser um clube formador e um clube vendedor. Historicamente nós temos vários atletas que até hoje seguem dando retorno financeiro na Europa. Além do Fred, temos a expectativa de Alisson, Taison, que podem continuar gerando essa receita extraordinária. Mas o objetivo é retomar sim como um dos grandes formadores do país, tem potencial para isso, mas requer um certo tempo “.

Sarrafiore: “Ele foi um atleta que estava em fim de contrato, por isso o SCI fez um acordo por ele. Chegou a pouco, é muito jovem ainda. É um organizador vindo de trás, boa finalização e gosta de fazer gol. Nossa intenção é prepará-lo bem. Ele está muito tempo sem competir, sem atuar, e isso realmente requer uma recuperação do tempo perdido. Está fazendo um trabalho para recuperar a parte física, de adaptação, porque o Inter fez um investimento, não é uma solução a curto prazo. Mas eu também o vejo jogando por dentro, que encosta no centroavante, e que tem o cheiro do gol. Espero que ele se adapte o mais rápido possível porque é um jogador bastante promissor.”.

Assista a entrevista completa: